Estabilidade e mudança na estruturação de segmentos tópicos em cartas de leitor: contribuição à história do português brasileiro

Autores/as

DOI: https://doi.org/10.6018/ER.421661
Palabras clave: Organização textual, Portugûes brasileiro, Tópico discursivo, Tradição discursiva

Resumen

Neste trabalho, consideramos a concepção de Eugenio Coseriu sobre os níveis de linguagem e entendemos que um processo de construção textual como tal não pertence a nenhuma língua (nível histórico), mas ao nível individual dos textos. Nesses termos, um determinado processo pode ser repetido, ao longo do tempo, em um conjunto de textos relacionados a um gênero e ser configurado como uma tradição discursiva. Nesse sentido, nosso objetivo é analisar as permanências, modificações ou exclusões da estruturação interna de segmentos tópicos mínimos em um conjunto de cartas de leitores que constituem o corpus do Projeto História do Português Brasileiro no Rio Grande do Norte (PHPB-RN). Observamos padrões de repetição, exclusão e inserção que mobilizam subunidades de duas regras prototípicas de estruturação intratópica, ligadas ao propósito comunicativo do gênero, o que constitui uma tradição discursiva. No presente caso, uma tradição instável.

Biografía del autor/a

Clemilton Lopes Pinheiro, Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN)

Professor de linguística na Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), em Natal, Brasil. Tem publicado diversos artigos, no Brasil e no exterior, e orienta dissertações e teses no domínio dos estudos do texto/discurso. Suas pesquisas abordam a estrutura e a organização do texto/discurso. Também se interessa pela história das ideias linguísticas.

Citas

CASTILHO, A. T.; HORA, D. da (Orgs.) (2010): História do Português Brasileiro: versão preliminar. João Pessoa: UFPB.

CASTILHO, A. de (2011): “História do português de São Paulo”. Filologia e Linguística Portuguesa. n. 13(1): 57-61.

COMBETTES, Bernand. (2012): “Linquistique textuelle et diachronie”. 3o Congrès Mondial de Linguistique Française, Vol. 1, SHS Web of Conferences: 3-10.

COSERIU, Eugenio (2002): Competencia linguística: elementos de la teoría del hablar. Madrid: Gredos.

COSERIU, E. (2007) : Lingüística del texto. Introducción a la hermenéutica del sentido, édition et annotation d’Óscar Loureda Lamas. Madrid: Arco/Libros.

GLESSGEN, M-D. (2007): Linguistique romane, Paris: Armand Colin.

JUBRAN, C.C.A.S. et al. (1992): “Organização tópica da conversação”, ILARI, R. (Org). Gramática do português falado, v. II. Campinas/SP: UNICAMP; São Paulo: FAPESP, 322-384.

JUBRAN, C.C.A.S. (2006): “Perspectiva textual-interativa”, JUBRAN, C.C.A.S. e KOCH, I. G. V. (Orgs.). Gramática do português culto falado no Brasil – a construção do texto falado. Campinas: Editora da UNICAMP, Vol. I, , 27-36.

JUBRAN, C. C. A. S. (2010): “Abordagem diacrônica dos processos constitutivos do texto – Introdução”, CASTILHO, A. T. e HORA, D. da (Orgs.). História do Português Brasileiro: versão preliminar. João Pessoa: UFPB, 268-273.

KABATEK, J. (2005): “A propos de l’historicité des textes”, MURGUÍA, A. Sens et références. Tübingen: Mélanges Georges Kleiber, 149-157.

KABATEK, J. (2006): “Tradições discursivas e mudança linguística”, LOBO, T.et al. (Orgs). Para a história do português brasileiro. Salvador: EDUFBA, vol. 6, 513-554.

KABATEK, J. (2007): “Las tradiciones discursivas entre conservación y innovación”. Rivista di filologia e letterature ispaniche, vol. 10, 331-345.

MATTHEIER, K. J. (2011): “Aspectos de uma teoria da mudança linguística”. Revista de Letras, vol. 30, 1/4, 171-183.

PENHAVEL, E. (2010): Marcadores discursivos e articulação tópica, Campinas-SP: [s.n.].

PENHAVEL, E.; DINIZ, T.C.G. (2014): “O processo de estruturação interna de segmentos tópicos mínimos em cartas de leitores mineiras do início do século XXI”. Revista (Con)Textos Linguísticos, v.8, n. 11: 21-38.

PINHEIRO, C. L. (2005): Estratégias textuais-interativas: a articulação tópica. Maceió: EDUFAL.

Publicado
12-11-2020
Cómo citar
Lopes Pinheiro, C. (2020). Estabilidade e mudança na estruturação de segmentos tópicos em cartas de leitor: contribuição à história do português brasileiro. Estudios Románicos, 29. https://doi.org/10.6018/ER.421661