Adaptação transcultural do Empowering Disempowering Motivational Climate Questionnaire para a língua portuguesa e análise da invariância em atletas masculinos brasileiros e portugueses

  • Helder Zimmermann Oliveira Centro de Investigação, Formação, Inovação e Intervenção em Desporto (CIFI2D), Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • Teresa Silva Dias Centro de investigação e intervenção educativa (CIEE), Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação, Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • Bebiana Catarina Rodrigues Sabino Centro de Investigação, formação, inovação e intervenção em desporto (CIFI2D), Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • Cláudia Dias Centro de Investigação, formação, inovação e intervenção em desporto (CIFI2D), Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • Nuno Corte-Real Centro de Investigação, formação, inovação e intervenção em desporto (CIFI2D), Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, Portugal.
  • António Manuel Fonseca Centro de Investigação, formação, inovação e intervenção em desporto (CIFI2D), Faculdade de Desporto, Universidade do Porto, Porto, Portugal.

Resumen

 O objetivo do presente estudo foi o de proceder à tradução e adaptação transcultural do “Empowering and Disempowering Motivational Climate Questionnaire-Coach” (EDMCQ-C) para a língua portuguesa e analisar a invariância da sua estrutura fatorial, quando aplicado a atletas brasileiros e portugueses. A amostra foi constituída por 963 atletas do sexo masculino, praticantes de diferentes desportos (andebol, basquetebol, futebol, futsal e voleibol), com idades compreendidas entre os 11 e os 24 anos (M = 15.04 ± 1.88), sendo 553 brasileiros (M = 15.81 ± 1.91) e 410 portugueses (M = 13.94 ± 1.30). Através do recurso à Análise Fatorial Confirmatória, foi possível verificar a existência de bons índices de ajustamento ao modelo teórico examinado, com uma solução reduzida constituída por 15 itens, distribuídos pelos cinco fatores do instrumento original (χ2/df = 2.38; CFI = 0.97; TLI = 0.96; SRMR = 0.03; RMSEA = 0.04). Complementarmente, a invariância do modelo de medida, quando aplicado a atletas brasileiros e portugueses, foi avaliada através da comparação do modelo com pesos fatoriais fixos e o modelo com coeficientes estruturais livres, tendo o resultado sido de ΔCFI = 0.01. Em conformidade, os resultados encontrados suportam a sugestão de que a versão adaptada para a língua portuguesa do EDMCQ-C evidencia boas propriedades psicométricas, podendo, portanto, constituir-se como uma ferramenta útil para avaliar as perceções de atletas brasileiros e portugueses sobre o clima motivacional que lhes é proporcionado pelos seus treinadores.

Publicado
06-11-2018
Sección
Psicología del Deporte