Proceso de enseñanza-entrenamiento de jóvenes en el fútbol: posibilidades a partir de un modelo ondulatorio

  • O. Baggiotto-Bettega
  • L. Rafaela-Galatti
  • S. Ibáñez-Godoy
  • A. Antunez-Medina
  • A. José-Scaglia
Palabras clave: Fútbol, Modelo ondulatorio, Proceso de enseñanza-entrenamiento

Resumen

El proceso de enseñanza-entrenamiento del fútbol debe ser coherente con el contexto en que se realiza, considerando los problemas y potencialidades, en busca de calificar las acciones técnico-tácticas y proporcionar la mejora en el juego. En esta perspectiva, este estudio de naturaleza teórica tiene como objetivo presentar un modelo ondulatorio para la enseñanza-entrenamiento del fútbol. Así, se presenta el modelo ondulatorio para el fútbol, adaptado de Ibáñez (2011), como una manera de ayudar en la organización y sistematización de los contenidos táctico-técnicos de ataque y defensa durante las etapas de formación, así como orientar la aplicación y evaluación de este proceso.

Citas

Araújo, D., Fonseca, C., Davids, K., Garganta, J., Volossovitch, A., Brandão, R. & Krebs, R. (2010) et al. The role of ecological constraints of expertise development. Talent Development & Excellence, 2(2), 165-179.

Bettega, O.B., Scaglia, A.J., Morato, M. & Galatti, L. R. (2015). Formação de jogadores de futebol: princípios e pressupostos para composição de uma proposta pedagógica. Movimento, 21(3),791-801.

Bettega, O.B., Galatti, L.R., Schmitz Filho, A.G., Tozetto, A. B., Longarela, B. & Scaglia, A.J. (2016). Planificación táctica en el fútbol: aspectos generales y específicos. E-balonmano: Revista de Ciencias del Deporte, 12(1),45-52.

Bondía, J.L. (2002). Notas sobre a experiência e o saber da experiência. Revista Brasileira de Educação, 19, 20-28.

Cañadas, M. & Ibáñez, S.J. (2010). La planificación de los contenidos de entrenamiento de baloncesto en equipos de iniciación. E-balonmano: Revista de Ciencias del Deporte, 6(1),49-65.

Capra, F. & Luisi, P.L. (2014). A visão sistêmica da vida: uma concepção unificada e suas implicações filosóficas, políticas, sociais e econômicas. São Paulo: Editora Cultrix.

Cardoso, M. F. (2007). Para uma teoria da competição desportiva para crianças e jovens: um estudo sobre os conteúdos, estruturas e enquadramentos das competições desportivas para os mais jovens em Portugal. Tese (Doutorado no ramo da Ciência do Desporto). Faculdade de Ciências do Desporto e da Educação Física, Universidade do Porto.

Casáis, L., Domínguez, E. & Lago, C. (2009). Fútbol Base: el entrenamiento em categorias de formación. Volume I. Madrid: MCsports.

Côté, J., Baker, J. & Abernethy, B. (2007). Practice and play in the development of sport expertise. In: Eklund, R. & Tenenbaum, G. (Eds.). Handbook of Sport Psychology. Hoboken: Routledge.

Corcho, H.M., González, C.Á., & Arrojo, A. (2017). Optimización del pensamiento táctico a partir de juegos simplificados de fútbol en iniciación deportiva. SPORT TK-Revista Euroamericana de Ciencias del Deporte, 6, 1, 81-90.

Cunha e Silva, P. (1995). O lugar do corpo. Elementos para uma cartografia fractal. (Tese de Doutorado). Faculdade de Ciências do Desporto e da Educação Física, Universidade do Porto.

Damo, A. (2005). Do dom a profissão: uma etnografia do futebol de espetáculo a partir da formação de jogadores no Brasil e na França. 2005. 435 f. Tese (Doutorado em Antropologia Social)-Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Federal do Rio Grande do Sul,Porto Alegre.

Fischer, K. & Bidell, T. (2006). Dynamic development of action and thought. En: Lerner, R. (Org.).Handbook of Child Psychology. (pp.313-399). Hoboken: Routledge.

Galatti, L.R., Scaglia, A.J., Bettega, O.B. & Paes, R. (2016). Coaches’ perceptions of youth players’ development in a professional soccer club in Brazil: paradoxes between the game and those who play. Sports Coaching Review, 5(2), 174-185.

Galatti, L.R., Bettega, O.B., Reverdito, R., Montero, A., Paes, R. & Scaglia, A.J. (2017). O ensino dos jogos esportivos coletivos: avanços metodológicos dos aspectos estratégico-tático-técnicos. Revista Pensar à Prática, 20(3), 639-54.

Garganta, J. (1994). Para uma teoria dos jogos desportivos colectivos. In: Graça, A. &Oliveira, J. (Org.). O ensino dos jogos desportivos. Porto: Editora da Universidade do Porto.

Garganta, J. (1997). Modelação táctica do jogo de futebol. Estudo da organização da fase ofensiva em equipes de alto rendimento. Tese de Doutorado. Faculdade de Ciências do Desporto e da Educação Física, Universidade do Porto.

Garganta, J. & Gréhaigne, J. (1999). Abordagem sistêmica do jogo de futebol: moda ou necessidade. Movimento, 10, 40-50.

Garganta, J. & Cunha e Silva, P. (2000). O jogo de futebol: entre o caos e a regra. Revista Horizonte, 16(91), 5-8.

Garganta, J. (2001) Futebol e ciência. Ciência e futebol. Efdportes. Revista Digital, 40.

Gomes, M. (2008). O desenvolvimento do jogar segundo a periodização táctica. Madrid: MC sports.

Graça, A. (2013). Os contextos sociais do ensino e aprendizagem dos jogos desportivos coletivos. In: Nascimento, J.V., Ramos, V. & Tavares, F. Jogos desportivos: formação e investigação. Florianópolis: Editora Tribo da Ilha.

Hall, T. & Smith, M. (2006). Teacher planning, instruction and reflection: What we know about teacher cognitive processes. Quest, 58(4), 424-442.

Ibáñez, S.J. (2008). La planificación y el control del entrenamiento técnico-táctico en Baloncesto. En: Terrados, N. & Calleja, J. (Coord.), Fisiología, entrenamiento y medicina del Baloncesto. (pp. 299-313). Barcelona: Paidotribo.

Ibáñez, S.J. (2011). Modelo ondulatorio progresivo para la enseñanza-entrenamiento de los deportes de equipo (MOPEDE). Revista Portuguesa de Ciências do Desporto,11(4), 26-27.

Morin, E. (2002). O método I: a natureza da natureza. Porto Alegre: Editora Sulina.

Papalia, D. & Feldman, R. (2013). Desenvolvimento humano. 12º Edição. Porto Alegre: AMGH.

Piaget, J. (2012). Seis estudos de psicologia. 25º Edição.Rio de Janeiro: Forense Universitária.

Scaglia, A.J. (2003). O futebol e os jogos/brincadeiras de bola com os pés: todos semelhantes, todos diferentes.150f. (Tese de Doutorado) – Faculdade de Educação Física, Universidade Estadual de Campinas.

Scaglia, A.J. (2011). O futebol e as brincadeiras de bola: a família dos jogos de bola com os pés. São Paulo: Phorte Editora.

Scaglia, A.J., Reverdito, R. & Galatti, L. R. (2013). Ambiente de jogo e ambiente de aprendizagem no processo de ensino dos jogos esportivos coletivos: desafios no ensino e na aprendizagem dos jogos esportivos coletivos. In: Nascimento, J.V., Ramos, V. & Tavares, F. (Org.). Jogos Desportivos: formação e investigação. Florianópolis: Editora Tribo da Ilha.

Scaglia, A.J. (2014). Pedagogia do futebol: construindo um currículo de formação para iniciação ao futebol. In: Nista-Piccolo, V. &Toledo, E. Abordagens pedagógicas do esporte: modalidades convencionais e não convencionais. Campinas: Papirus Editora.

Sérgio, M. (2003). Um corte epistemológico: da educação física à motricidade humana. Lisboa: Instituto Piaget.

Strachan, L., Côté, J. & Deakin, J. (2009).An evaluation of personal and contextual factors in competitive youth sport. Journal of Applied Sport Psychology, 3(21), 340-355.

Teodorescu, L. (2003). Problemas de teoria e metodologia nos jogos desportivos. Lisboa: Livros Horizontes.

Vigotsky, L.S. (2007). A formação social da mente. 7ª Edição. São Paulo: Martins Fontes.
Publicado
28-07-2019
Sección
Artículos en español