O ébola 2013/2016 e a multidimensionalidade espacial da inovação em medicamentos

  • Thiago Monteiro Mendes Universidade do Porto / CEGOT
  • Teresa Sá Marques Departamento de Geografia/Faculdade de Letras/Universidade do Porto; Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território - CEGOT
Palabras clave: Inovação Tecnológica, Crise Epidemiológica, Dimensão Territorial, Análise Multiescalar

Resumen

Este artigo busca, a partir de uma análise acerca da última crise epidemiológica do Ébola, identificar dimensões que se projetam em um contexto de emergência de carácter internacional, indo além da dimensão epidemiológica em seu caráter biomédico. Para isso, parte de uma descrição das etapas da dispersão da doença, dando destaque para o peso da espacialidade alcançada pela mesma em suas diferentes fases. Posteriormente, são apresentados e analisados dados que indicam a existência de outras áreas de interesse para análise geográfica. Dessa forma, chega-se à dimensão económica da epidemia, com destaque para questões de carácter político e questões de caráter tecnológico, sugerindo-se campos de investigação em Geografia que contribuam para o desenvolvimento de respostas mais rápidas e efetivas em crises futuras.

Biografía del autor/a

Thiago Monteiro Mendes, Universidade do Porto / CEGOT
Departamento de Geografia/Faculdade de Letras/Universidade do Porto; Centro de Estudos de Geografia e Ordenamento do Território - CEGOT

Citas

AYRES JRCM, FRANÇA I, JUNQUEIRA G, SALETTI HC. (2009) O conceito de vulnerabilidade e as práticas em Saúde. Novas perspectivas e desafios. In: Czeresnia D, Machado C, organizadores. Promoção da Saúde: conceitos, reflexões, tendências. 2a ed. Rio de Janeiro: Fiocruz. p. 121-43.

BINZ, C., TRUFFER, B., & COENEN, L. (2014). Why space matters in technological innovation systems - mapping global knowledge dynamics of membrane bioreactor technology. Research Policy, 43, 138-155.

GUIMARÃES, R. B. (2015). Saúde: fundamentos de Geografia humana. São Paulo.

HAGGETT, P. (2000). The Geographical Structure of Epidemics United States: Oxford University Press.

HDX, H. (2016). EVD Cases by district.

MALAGÓN-OVIEDO RA, CZERESNIA D. (2015) The concept of vulnerability and its biosocial nature. Interface (Botucatu). 19(53):237-49.

MÉNDEZ, R. (1997). Geografía Económica - La lógica espacial del capitalismo global (Ariel Ed. 1 ed.). Barcelona.

MSF. (2015). Pushed to the Limit and Beyond. A year into the largest ever Ebola outbreak.: Médicos Sem Fronteira.

SHEPPARD, E., CLARK, G., FELDMAN, M., & GERTLER, M. (2000). Geography or economics? Conceptions of space, time, interdependence, and agency. The Oxford handbook of economic geography, 99-119.

UN. (2014a). Ebola: WHO-convened ethics panel endorses use of experimental drugs, UN News Centre. Retrieved from http://www.un.org/apps/news/story.asp?NewsID=48468#.V1FWg5ErLIV

UN. (2014b). Measures to contain and combat the recent Ebola outbreak in West Africa (pp. 2): UN General Assembly.

UN. (2014c). Resolution 2177 (2014) (pp. 5): UN Security Council.

UN. (2015). Resources for Results V: United Nations.

WHO, W. H. O. (2014). Statement on the 1st meeting of the IHR Emergency Committee on the 2014 Ebola outbreak in West Africa. Junho/2016, from http://www.who.int/mediacentre/news/statements/2014/ebola-20140808/en/

WHO, W. H. O. (2016a). EBOLA Response Funding. Retrieved Junho/2016, from http://www.who.int/csr/disease/ebola/funding/en/

WHO, W. H. O. (2016b). Emergencies preparedness, response: Ebola Maps. Retrieved junho/2016, from http://www.who.int/csr/disease/ebola/maps/en/

Publicado
14-08-2017