Frecuencia de la depresión puerperal en la maternidad de un hospital universitario de la Región del Sur

  • Francislene Lopes Menezes Universidade Federal do Rio Grande - FURG
  • Adriane Maria Netto Oliveira Universidade Federal do Rio Grande
  • Luiz Augusto Pinto Lemos Universidade Federal do Rio Grande
  • Priscila Arruda da Silva Universidade Federal do Rio Grande
  • Nalú Pereira da Costa Kerber Universidade Federal do Rio Grande
  • Mara Regina Santos da Silva Universidade Federal do Rio Grande
Palabras clave: depresión posparto, enfermería, salud de la mujer

Resumen

Este estudo teve como objetivo identificar a freqüência de risco para desencadear a depressão pós-parto, em puérperas internadas na maternidade de um Hospital Universitário, através da aplicação da escala Edinburgh Post-Natal Depression Scale (EPDS).

Trata-se de um estudo quantitativo, exploratório descritivo. Participaram do estudo 53 puérperas em pós-parto imediato no período de abril à maio de 2009. Foi aplicado um questionário elaborado com base na escala Edinbugh Post-Natal Depression Scale (EPDS).
Os dados obtidos através da aplicação da escala foram analisados e interpretados, através da estatística descritiva. Foram respeitadas todas as determinações da Resolução 196/96 de pesquisa com seres humanos.
Os resultados apontaram que o risco de depressão pós-parto foi encontrado em seis puérperas (11%), o que demonstra a importância dos profissionais da saúde em realizar a detecção precoce da depressão pós-parto, tendo como auxílio à escala EPDS, pela eficácia e praticidade da sua aplicação.

Biografía del autor/a

Francislene Lopes Menezes, Universidade Federal do Rio Grande - FURG

Enfermeira graduada pela Universidade Federal do Rio Grande – FURG.


Adriane Maria Netto Oliveira, Universidade Federal do Rio Grande

Doutora em Enfermagem. Docente da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande.

Luiz Augusto Pinto Lemos, Universidade Federal do Rio Grande

Professor Titular do Instituto de Matemática, Estatística e Física Aplicada e da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande (FURG). Rio Grande, RS, Brasil.

Priscila Arruda da Silva, Universidade Federal do Rio Grande

Doutoranda em enfermagem do programa de pós-graduação em enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande – FURG.

Nalú Pereira da Costa Kerber, Universidade Federal do Rio Grande
Doutora em Enfermagem. Professora Adjunta II da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande. Coordenadora do Grupo de Pesquisa Viver Mulher
Mara Regina Santos da Silva, Universidade Federal do Rio Grande

Enfermeira. Doutora em Enfermagem. Professora Associada nível III da Escola de Enfermagem da Universidade Federal do Rio Grande. Coordenadora do Grupo de Estudos e Pesquisa de Família, Enfermagem e Saúde (GEPEFES).

Publicado
05-07-2012
Cómo citar
[1]
Menezes, F.L., Oliveira, A.M.N., Lemos, L.A.P., Silva, P.A. da, Kerber, N.P. da C. y Silva, M.R.S. da 2012. Frecuencia de la depresión puerperal en la maternidad de un hospital universitario de la Región del Sur. Enfermería Global. 11, 3 (jul. 2012). DOI:https://doi.org/10.6018/eglobal.11.3.138271.
Sección
Enfermería y perspectiva de Género