Situación de la violencia contra niños y adolescentes en Brasil

  • Marciano Nascimento de Quadros Residente em Oncologia Hospital São Vicente de Paulo – Universidade de Passo Fundo. Brasil.
  • Rosane Maria Kirchner Professora de Estatística da Universidade Federal de Santa Maria. Campus de Palmeira das Missões- RS.
  • Leila Mariza Hildebrandt UFSM
  • Marinês Tambara Leite UFSM
  • Marta Cocco da Costa, UFSM
  • Diana Mara Sarzi Enfermeira. Residente no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde no Sistema Público de Saúde da Universidade Federal de Santa Maria. Brasil.
Palabras clave: Violencia, Niño, Adolescente, Enfermería

Resumen

Objetivo: Verificar las ocurrencias de violencia física y psicológica/moral contra niños y adolescentes, en las regiones geográficas de Brasil en el año 2012.

Método: Estudio documental de abordaje cuantitativo y descriptivo. Los datos fueron colectados en el Sistema de Información de Agravios de Notificación en el cual se utilizó la modalidad “violencia física y psico/moral” en intervalos de edad de <1 año a 14 años en las diferentes regiones de Brasil en el 2012. El análisis de los datos se realizó con ayuda de la estadística descriptiva (tablas simples y cruzadas, figuras y tasas), utilizando el Microsoft Office Excel, versión 2007.

Resultados: De las 8397 ocurrencias de violencia psicológica/moral, 62,7% fueron dirigidos a ambulatorios y en 6,3% ocurrió el ingreso hospitalario, siendo la mayor frecuencia en el sexo femenino. En los 14125 casos registrados de violencia física, 54,2% fueron dirigidos a ambulatorios y 13,6% tuvieron ingreso hospitalario, ocurriendo con mayor incidencia también en el sexo femenino. En cerca de 1/3 de los atendidos ocurrió falta de registros.

Conclusión: Existe la necesidad de políticas específicas y soporte profesional que vengan a prevenir, combatir y asistir la violencia contra niños y adolescentes pudiendo reducir el grado de inseguridad, así como el incremento del número de notificaciones.

Biografía del autor/a

Marciano Nascimento de Quadros, Residente em Oncologia Hospital São Vicente de Paulo – Universidade de Passo Fundo. Brasil.
Enfermeiro pela Universidade Federal de Santa Maria, residente em Oncologia Hospital São Vicente de Paulo – Universidade de Passo Fundo. Brasil.
Rosane Maria Kirchner, Professora de Estatística da Universidade Federal de Santa Maria. Campus de Palmeira das Missões- RS.

Doutoraem Engenharia Elétrica- Métodosde Apoio à Decisão pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, PUC/RJ, Professora de Estatística da Universidade Federal de Santa Maria. Departamento de Zootecnia e Ciências Biológicas- Campus de Palmeira das Missões- RS.

Leila Mariza Hildebrandt, UFSM

Enfermeira, Doutora em Ciências pela UNIFESP. Docente da Universidade Federal de Santa Maria/Campus Palmeira das Missões. Brasil.

Marinês Tambara Leite, UFSM

Enfermeira, Doutora em Gerontologia Biomédica, docente da Universidade Federal de Santa Maria/ Campus Palmeira das Missões - Rio Grande do Sul.

Marta Cocco da Costa,, UFSM

Enfermeira, Doutora em Enfermagem pela UFRGS. Docente da Universidade Federal de Santa Maria/Campus Palmeira das Missões. Brasil.

Diana Mara Sarzi, Enfermeira. Residente no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde no Sistema Público de Saúde da Universidade Federal de Santa Maria. Brasil.

Enfermeira. Residente no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde no Sistema Público de Saúde da Universidade Federal de Santa Maria. Brasil.

Citas

Waiselfisz JJ. Mapa da Violência 2014: Os jovens do Brasil. Rio de Janeiro, 2014. [acesso em 2015 Fev 12]. Disponível em: http://www.mapadaviolencia.org.br/pdf2014/Mapa2014_JovensBrasil_Preliminar.pdf

Organização Mundial da Saúde(OMS). Prevención del maltrato infantil: Qué hacer, y cómo obtener evidencias. Genebra, 2009.

Ramos MLCO, Silva AL. Estudo Sobre a Violência Doméstica Contra a Criança em Unidades Básicas de Saúde do Município de São Paulo – Brasil. Saúde Soc. São Paulo. 2011;20(1):136-46. [acesso em 2014 Set 04]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S010412902011000100016&script=sci_abstract&tlng=pt.

ONU. Organização das Nações Unidas. Organização Mundial da Saúde. Relatório Mundial Sobre Violência contra as Crianças. Genebra, 2011.

Brito AMM, Zanetta DM, Mendonça RCV, Barison SWZP, Andrade VAG. Violência doméstica contra crianças e adolescentes: estudo de um programa de intervenção. Ciência & Saúde Coletiva. 2005;10(1):143-49. [acesso em 2014 Jun 11]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/csc/v10n1/a15v10n1.pdf.

Apostólico MR, Nóbrega CR, Guedes RN, Fonseca RMGSda, Egry EY. Características da violência contra a criança em uma capital brasileira Rev. Latino-Am. Enfermagem, 2012;20(2):(08 telas). [acesso em 2015 Ago 14]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v20n2/pt_08,

Santos, S. S. e Dell’Aglio, D. D. “Quando o silêncio é rompido: o processo de revelação e notificação de abuso sexual infantil”. Psicologia & Sociedade; 22 (2): 328-335, 2010. [acesso em 2014 Mai 04]. Disponível em:

https://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/27861/000763940.pdf?sequence=1

Bezerra KP, Monteiro AI. Violência Intrafamiliar Contra a criança: intervenção de enfermeiros da estratégia saúde da família. Rev Rene. 2012; 13(2):354-64. [acesso em 2014 Mai 04]. Disponível em:

http://www.revistarene.ufc.br/revista/index.php/revista/article/view/219

Carvalho ACdeR, Barros SGde, Alves AC, Gurgel CA. Maus-tratos: estudo através da perspectiva da delegacia de proteção à criança e ao adolescente em Salvador, Bahia. Ciência & Saúde Coletiva, 2009;14(2):539-46, [acesso em 2014 Mai 04]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232009000200022&script=sci_arttext.

Luna GLM, Ferreira RC, Vieira LJES. Notificação de maus-tratos em criança e adolescentes por profissionais da equipe saúde da família. Ciências & Saúde Coletiva, 2010;15(2):481-91. [acesso em 2015 Jan 09]. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232010000200025

Brasil. Ministério da saúde. Instrutivo para preenchimento da ficha de notificação/investigação individual de violência doméstica, sexual e/ou outras violências no sistema de informação de agravos de notificação – Sinan net. Secretaria de vigilância em saúde. Brasília: Ministério da Saúde, 2011

http://lproweb.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/cgvs/usu_doc/ev_dant_2011_instrutivofichaviolencia.pdf.

Abranches CD, Assis SG. A (in)visibilidade da violência psicológica na infância e adolescência no contexto familiar. Cad. Saúde Pública. 2011;27(5):843-54,. [acesso em 2014 Jan 09]. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2011000500003

Maia AC, Barreto M. Violência contra crianças e adolescentes no amazonas: Análise dos registros. Psicologia em Estudo. 2012;17(2):195-204 [acesso em 2015 Jan 09]. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-73722012000200003&script=sci_arttext

Rocha PCX, Moraes CL. Violência familiar contra a criança e perspectivas de intervenção do Programa Saúde da Família: a experiência do PMF/Niterói (RJ, Brasil). Ciência & Saúde Coletiva. 2011;16(7):3285-96 [acesso em 2014 Jun 09]. Disponível em:

http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1413-81232011000800028

Gonçalves HS, Ferreira AL. A notificação da violência intrafamiliar contra crianças e adolescentes por profissionais de saúde. Cad. Saúde Pública. 2002;18(1):315-9 [acesso em 2014 Jul 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0102-311X2002000100032

Ximenes LF, Oliveira RdeVCde, Assis SGde. Violência e transtorno de estresse pós-traumático na infância. Ciência & Saúde Coletiva. 2009;14(2):417-33 [acesso em 2014 Jun 15]. Disponível em: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1413-81232009000200011&script=sci_arttext

Martins CBG, Jorge MHPM. Desfecho dos casos de violência contra crianças e adolescentes no poder judiciário. Acta Paul Enferm. 2009;22(6):800-7 [acesso em 2014 Jun 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ape/v22n6/a12v22n6.pdf

Fatori de Sá DG, Bordin IAS, Martin D, Paula CSde. Fatores de Risco para Problemas de Saúde Mental na Infância/Adolescência. Psic.Teor. e Pesq. 2010;26(4):643-52 [acesso em 2014 Ago 09]. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/ptp/v26n4/08.pdf

Publicado
27-09-2016
Cómo citar
1.
Quadros MN de, Kirchner RM, Hildebrandt LM, Leite MT, Costa, MC da, Sarzi DM. Situación de la violencia contra niños y adolescentes en Brasil. Enf Global [Internet]. 27 de septiembre de 2016 [citado 20 de mayo de 2019];15(4):162-96. Disponible en: https://revistas.um.es/eglobal/article/view/222681
Sección
Docencia e Investigación