Torcularium da villa da Aldeia do Grilo (Serpa, Alentejo, Portugal): dados arqueográficos

  • Carlos Emanuel Araújo Ferreira
  • Gina Maria Mendes Dias
Palabras clave: Aldeia do Grilo, villa, pars frumentaria, torcularium, Alentejo

Resumen

Em época romana, o interior Alentejano revela uma intensa exploração agrícola, assumindo a villa um papel predominante desta estratégia económica. Porém, a maioria dos trabalhos arqueológicos na região incidiu sobre as partes habitacionais das villae, pelo que não dispomos ainda de uma visão sistemática sobre o funcionamento e estruturação interna destas unidades orgânicas.

A realização de trabalhos de salvamento no quadro do projecto de infra-estruturas de Alqueva, que afecta maioritariamente implantações topográficas distintas das opções romanas de instalação da pars urbana, vem produzindo novas informações que deverão revelar-se decisivas para a compreensão dos aspectos técnicos e económicos daquela produção.

Apesar da natureza preventiva da intervenção realizada no sítio da Aldeia do Grilo, foi possível aqui reconstituir uma sequência de sucessivas reformulações arquitectónicas da fracção intervencionada de um edifício. Das estruturas postas a descoberto destacamos parte de um torcularium: um lacus, de forma quadrangular, revestido a opus signinum; possivelmente parte de uma plataforma de prensagem, também construída com recurso a argamassa e cerâmica; e um canal de comunicação entre as duas estruturas.

Se o estado de conservação do registo arqueológico e a natureza da intervenção arqueológica realizada condicionam a obtenção de dados cronológicos rigorosos para a construção e diacronia desta estrutura, o material cerâmico comum, sobretudo anfórico e de construção incluído no seu preenchimento situam a condenação do lacus em meados do séc. IV / inícios séc. V d.C.

A multiplicação dos trabalhos de Arqueologia em zonas não habitacionais das villae contribui para a compreensão dos aspectos tecno-económicos e sociais da ocupação romana do Alentejo, nomeadamente: a funcionalidade das estruturas técnicas e a sua evolução cronológica; a articulação entre as diversas partes constituintes das villae; e a importância das áreas técnicas na exploração do fundus e no quadro das estratégias económicas do mundo rural romano ao longo da ocupação.

Publicado
22-06-2015
Sección
Estudios