Enfermedades crónicas no transmisibles y el estrés de los trabajadores de enfermería de unidades quirúrgicas

Palabras clave: Enfermería del trabajo, estrés psicológico, enfermedad crónica

Resumen

Este estudio tuvo como objetivo determinar la prevalencia de enfermedades crónicas no transmisibles autoreferidas y su correlación con el estrés entre los trabajadores de enfermería de unidades quirúrgicas.

Estudio analítico, transversal, con enfoque cuantitativo, cuya colecta de datos se llevó a cabo a partir de un cuestionario sociodemografico y de la escala Job Stress Scale.

Se identificó que 68.6% de los trabajadores negó tener enfermedades crónicas no transmisibles, mientras que el 12,9% informó obesidad, 4,3%, presión arterial alta y 2,9%, depresión. En cuanto al nivel de estrés, se encontró que 51,4% tenía nivel intermedio, 30%, nivel alto y 18,6, nivel bajo.

Se concluyó que no hubo correlación entre la autorreferencia de enfermedades crónicas no transmisibles y el nivel de estrés.

Referencias

Brasil. Ministério da Saúde. Plano de ações estratégicas para o enfrentamento das doenças crônicas não transmissíveis (DCNT) no Brasil, 2011 – 2022. Brasília, 2011. URL:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/plano_acoes_enfrent_dcnt_2011.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. VIGITEL 2011 – Saúde Suplementar. Rio de Janeiro, 2012. URL:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2011_fatores_risco_doencas_cronicas.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Vigilância de fatores de risco e proteção para doenças crônicas por inquérito telefônico. VIGITEL 2014 – Saúde Suplementar. Rio de Janeiro, 2015. URL:

http://bvsms.saude.gov.br/bvs/publicacoes/vigitel_brasil_2014.pdf

Malta, D.C. et al. Mortalidade por doenças crônicas não transmissíveis no Brasil e suas regiões, 2000 a 2011. Epidemiol. Rev. Saúde, Brasília, v.23, n.4, p. 599-608, 2014. URL: http://www.scielo.br/pdf/ress/v23n4/2237-9622-ress-23-04-00599.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Diretrizes e recomendações para o cuidado integral de doenças crônicas não-transmissíveis. Promoção da saúde, vigilância, prevenção e assistência. Série Pactos pela Saúde 2006(a), Brasília, v. 8, p. 13, 2008. Acesso em: 15 de outubro de 2015. URL:

http://conselho.saude.gov.br/webpacto/volumes/volume8.pdf

Zimmet P.Z. et al. Obesity, hypertension, carbohydrate disorders and the risk of chronic diseases. Is there any epidemiological evidence for integrated prevention programmes? Med J Aust, v. 145, n.6, p. 256-259, 1986. URL: http://europepmc.org/abstract/med/3747912

Toh C.M. et al. Prevention and control of non-communicable diseases in Singapore: a review of national health promotion programmes. Singapore Med J, v. 43, n. 7, p. 333-339, 2002. URL: http://www.sma.org.sg/smj/4307/4307a1.pdf

Szmedra P. et al. Health promoting behavior among chronically III Pacificans living with non-communicable disease in Fiji, Nauru, and Kiribati. Pac Health Dialog, v. 15, n. 2, p. 55-65, 2009. URL:

https://www.researchgate.net/publication/44574172_Health_promoting_behavior_among_chronically_ill_Pacificans_living_with_non-communicable_disease_in_Fiji_Nauru_and_Kiribati

Promthet S. et al. Situation analysis of risk factors related to non-communicable diseases in Khon Kaen Province, Thailand. Asian Pac J Cancer Prev, v. 12, n. 5, p. 1337-1340, 2011. URL: http://www.koreascience.or.kr/article/ArticleFullRecord.jsp?cn=POCPA9_2011_v12n5_1337

Veras, R.P. Estratégias para o enfrentamento das doenças crônicas: um modelo em que todos ganham. Rev. Bras. Geriatr. Gerontol., Rio De Janeiro, v. 14, n. 4, p. 779-786, 2011. URL:

http://revista.unati.uerj.br/scieloOrg/php/articleXML.php?pid=S1809-98232011000400017〈=pt

Chou, L. et al. Job stress and burnout in hospital employees: comparisions of different medical professions in a regional hospital of Taiwan. BMJ OPEN, 2014. URL: http://bmjopen.bmj.com/content/4/2/e004185.full.pdf+html

Farias S.M.C. et al. Caracterização dos sintomas físicos de estresse na equipe de pronto atendimento. Rev Esc Enferm USP, São Paulo, v. 45, n. 3, p. 722-729, 2011. URL: http://www.revistas.usp.br/reeusp/article/view/40758/44080

Sousa, C.S. et al. Avanços no papel do enfermeiro de centro cirúrgico. Rev enferm UFPE on line, Recife, v.7, p. 6288-6293, 2013. URL: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/4888/pdf_3820

LIma-Costa, M.F., Barreto, S.M. Tipos de estudos epidemiológicos: conceitos básicos e aplicações na área do envelhecimento. Epidemiologia e Serviços de Saúde, Brasília, v. 12, n. 4, p. 189-201, 2003. URL: http://scielo.iec.pa.gov.br/pdf/ess/v12n4/v12n4a03.pdf

Alves, M. G. M. et al. Versão resumida da “job stress scale”: adaptação para o português. Revista de Saúde Pública, São Paulo, v. 38, n. 2, p. 164-171, abr. 2004. URL: http://www.revistas.usp.br/rsp/article/viewFile/31697/33584

Magalhães, F.J. et al. Fatores de risco para doenças cardiovasculares em profissionais de enfermagem: estratégias de promoção da saúde. Rev Bras Enferm., Brasília, v. 67, n. 3, p. 394-400, 2014. URL: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n3/0034-7167-reben-67-03-0394.pdf

Oshiro, M.L. et al. Hipertensão arterial em trabalhadores da Estratégia Saúde da Família. Revista Brasileira de Ciências da Saúde, João Pessoa, ano 11, n. 36, 2013. URL:

http://seer.uscs.edu.br/index.php/revista_ciencias_saude/article/view/1786/1404

Silveira, C.D.S. et al. Perfil de sobrepeso e obesidade em trabalhadores de enfermagem em unidades de cuidado intensivo e emergência. Revista Ciência & Saúde, Porto Alegre, v. 6, n. 3, p. 157-162, 2013. URL: http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/faenfi/article/view/14550/10727

Fernandes, J.C. et al. Jornada de trabalho e comportamentos de saúde entre enfermeiros de hospitais públicos. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, v. 21, n. 5, 2013. URL: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n5/pt_0104-1169-rlae-21-05-1104.pdf

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo. Manual de orientação clínica: hipertensão arterial sistêmica (HAS). São Paulo, 2011. Acesso em: 15 de outubro de 2015. URL: http://www.saude.sp.gov.br/resources/ses/perfil/gestor/destaques/linhas-de-cuidado-sessp/hipertensao-arterial-sistemica/manual-de-orientacao-clinica-de-hipertensao-arterial/lc_hipertensao_manual_2011.pdf

Duncan, B.B. et al. Doenças crônicas não transmissíveis no Brasil: prioridade para enfrentamento e investigação. Rev Saúde Pública, São Paulo, v. 46, p. 126-134, 2012. URL: http://www.scielo.br/pdf/rsp/v46s1/17.pdf

Ribeiro, R. P. et al. Prevalência da síndrome metabólica entre trabalhadores de enfermagem e associação com estresse ocupacional, ansiedade e depressão. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, Forthcoming, 2015. URL: http://www.scielo.br/pdf/rlae/2015nahead/pt_0104-1169-rlae-0383-2573.pdf

Trindade, L.L. et al. Absenteísmo na equipe de enfermagem no ambiente hospitalar. Enfermería Global, n. 36, p. 147-155, 2014. URL: http://revistas.um.es/eglobal/article/viewFile/181541/166581

Bernardes, C.L. et al. Agravos à saúde dos trabalhadores de enfermagem em uma instituição pública de ensino. Rev Esc Enferm USP, São Paulo, v. 48, n. 4, p. 676-682, 2014. URL: http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v48n4/pt_0080-6234-reeusp-48-04-676.pdf

Schmidt, D. R. C. et al. Ansiedade e depressão entre profissionais de enfermagem que atuam em blocos cirúrgicos. Rev Esc Enferm USP, São Paulo, v. 45, n. 2, p. 487-493, 2011. URL:

http://www.scielo.br/pdf/reeusp/v45n2/v45n2a25.pdf

Batista, J.B.V. et al. Depressão como causa de afastamento do trabalho: um estudo com professores do ensino fundamental. Psico, Porto Alegre, Revista da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul – PUCRS, v. 44, n. 2, pp. 257-262, 2013. URL:

http://revistaseletronicas.pucrs.br/ojs/index.php/revistapsico/article/view/11551/9644

Filha, M.M.T. et al. Estresse ocupacional e autoavaliação de saúde entre profissionais de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, v. 21, n. 2, 2013. URL: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21n2/pt_0104-1169-rlae-21-02-0475.pdf

Urbanetto, J.S. et al. Estresse no trabalho da enfermagem em hospital de pronto-socorro: análise usando a Job Stress Scale. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, v. 19, n. 5, 2011. URL: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v19n5/pt_09.pdf

Rodrigues, E.P. et al. Prevalência de transtornos mentais comuns em trabalhadores de enfermagem em um hospital da Bahia. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 67, n. 2, 2014. URL: http://www.scielo.br/pdf/reben/v67n2/0034-7167-reben-67-02-0296.pdf

Rodrigues, L.G.M. et al. Ocorrência do estresse em enfermeiros no ambiente hospitalar. Rev enferm UFPE on line, Recife, v. 9, n.4, p. 8054-8058, 2015. URL: http://www.revista.ufpe.br/revistaenfermagem/index.php/revista/article/view/7031/pdf_7907

Gonçalves, F.G.A. et al. Modelo neoliberal e suas implicações para a saúde do trabalhador de enfermagem. Rev enferm UERJ, Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, p. 519-525, 2014. URL: http://www.facenf.uerj.br/v22n4/v22n4a14.pdf

Schmidt, D. R. C. Modelo Demanda-Controle e estresse ocupacional entre profissionais de enfermagem: revisão integrativa. Rev Bras Enferm., São Paulo, v. 66, n. 5, p. 779-788, 2013. URL: http://www.scielo.br/pdf/reben/v66n5/20.pdf

Silva, A.M.B. et al. Associação entre pressão arterial e estresse percebido em motoristas de ônibus. J Health Sci Inst., São Paulo, v. 31, n. 1, p. 75-78, 2013. URL: http://www.unip.br/comunicacao/publicacoes/ics/edicoes/2013/01_jan-mar/V31_n1_2013_p75a78.pdf

Ribeiro, R.P. et al. Obesidade e estresse entre trabalhadores de diversos setores de produção: uma revisão integrativa. Acta Paul Enferm, São Paulo, v. 24, n. 4, p. 577-581, 2011. URL: http://www.scielo.br/pdf/ape/v24n4/a20v24n4.pdf

Moreira, D.P., Furegato, A.R.F. Estresse e depressão entre alunos do último período de dois cursos de enfermagem. Rev. Latino-Am. Enfermagem, São Paulo, v. 21. 2013. URL: http://www.scielo.br/pdf/rlae/v21nspe/pt_20.pdf

Publicado
28-03-2017
Cómo citar
1.
Kotekewis K, Ribeiro R, Ribeiro B, Trevisan Martins J. Enfermedades crónicas no transmisibles y el estrés de los trabajadores de enfermería de unidades quirúrgicas. eglobal [Internet]. 28mar.2017 [citado 23mar.2019];16(2):295-14. Available from: https://revistas.um.es/eglobal/article/view/252581
Sección
Originales